Tratamentos

Otoplastia

 

A Otoplastia é a cirurgia para correção das deformidades da orelha, que podem ser congénitas ou secundárias a traumatismos e doenças. A alteração mais frequente é a orelha de abano, ou seja, a orelha afastada da cabeça, devido a ausência ou enrolamento deficiente da cartilagem do pavilhão auricular.

A idade ideal para correção da orelha de abano é a idade pré-escolar, entre os cinco e os seis anos, por modo a evitar as críticas dos colegas na escola primária, as quais podem ser psicologicamente traumatizantes. Mas, em muitos casos, só é corrigido na idade adulta, por vezes por falta de esclarecimento.

Através de uma incisão na parte posterior do pavilhão auricular, fazem-se uns cortes na cartilagem e esta é enrolada e fixada com pontos internos, de modo a aproximar a orelha da cabeça e a torná-la mais bem definida. A cicatriz na face posterior do pavilhão auricular torna-se impercetível. Existem várias técnicas descritas, algumas só com pontos de fixação. As técnicas devem ser adaptadas a cada caso de acordo com o grau de descolamento existente. Só a fixação com pontos, sem enfraquecimento da cartilagem pode não ser suficiente e causar algum grau de recidiva.

Este procedimento demora cerca de uma hora, para ambas as orelhas ou de trinta minutos se só uma estiver envolvida. A anestesia pode ser local em adultos, mas para as crianças mais pequenas prefere-se sedação. Não necessita de internamento.

Após a cirurgia, as orelhas são protegidas com um penso com ligadura durante cerca de cinco dias. O pós-operatório é praticamente indolor e as orelhas inicialmente ficam com diminuição da sensibilidade, a qual vai recuperando ao longo das semanas. Habitualmente não se retiram pontos pois a sutura é intradérmica. Se se optar por pontos externos, estes retiram-se ao fim de uma semana.

As orelhas vão permanecer com algum Edema e Equimose cerca de quinze dias. O resultado final só por volta do terceiro mês. Durante o primeiro, recomenda-se dormir com uma fita de modo a evitar torção das orelhas durante o sono.

As complicações, raríssimas, passam por hematomas facilmente resolvíveis. Raramente ocorrem pequenas irregularidades visíveis da cartilagem, que são facilmente corrigidas após estabilização dos resultados.

O principal medo relaciona-se com a cicatriz, mas sem fundamento, pois esta fica completamente impercetível e também não interfere com a audição.

Imagens antes e depois


voltar